Voltar ao Topo
Doenças

Desidratação

A desidratação ocorre quando o corpo perde mais líquidos do que ganha. Como nosso corpo é composto de aproximadamente 75% de água, nossa sobrevivência depende de um sofisticado sistema de manejo da água. Felizmente, nosso corpo possui este sistema e o mecanismo da sede nos informa quando é preciso aumentar a ingestão de líquidos. Nós estamos a perder água constantemente quando respiramos, transpiramos, urinamos ou defecamos, porém podemos “reabastecer os estoques” de água se bebermos líquidos durante o dia. Caso a desidratação ocorra, nosso corpo também pode transferir água para partes onde ela é mais necessária.

A maioria dos casos de desidratação pode ser facilmente revertida com a ingestão de líquidos, porém casos mais graves necessitam atendimento médico urgente.

desidratação

A pouca ingestão de água está entre as principais causas de desidratação. Foto: Colin Brough / Free Images


As principais causas de desidratação são a pouca ingestão de água, a perda acentuada de água (clima seco) ou uma combinação desses dois fatores. No entanto, existem outras causas de desidratação:

  • Diarreia. A causa mais comum de mortes relacionadas à desidratação. O intestino grosso tem a função de absorver a água dos alimentos e líquidos que ingerimos, e a diarreia impede que isso ocorra, levando à desidratação.
  • Vômitos. Além de causar a perda de líquidos, pode dificultar a ingestão de água.
  • Suor. O mecanismo de resfriamento do corpo libera quantidades significativas de água. O tempo quente e úmido, bem como atividades físicas vigorosas podem aumentar a perda de líquidos através do suor.
  • Diabetes. Altos níveis de glicose no sangue aumentam a produção de urina e a perda de líquidos.
  • Micção frequente. Geralmente é causada por diabetes descompensado, mas também pode ser causada por álcool e alguns medicamentos, como diuréticos, anti-histamínicos, remédios para pressão sanguínea e antipsicóticos.
  • Queimaduras. A água flui para a região lesada da pele e o corpo perde líquidos.

Sintomas da Desidratação

Os primeiros sintomas da desidratação costumam ser sede, urina escura e diminuição na produção de urina. De fato, a cor da urina é um dos melhores indicadores do nível de hidratação da pessoa – urina clara significa que você está bem hidratado e urina escura significa que você está desidratado. Se você não ingerir líquidos, aparecerão os sintomas de desidratação moderada, tais como:

A desidratação grave pode apresentar variações mais extremas dos sintomas relacionados acima, além de:

  • Falta de suor
  • Olhos fundos
  • Pele seca e áspera
  • Em bebês, fontanela (moleira) funda
  • Pressão sanguínea baixa
  • Aumento dos batimentos cardíacos
  • Febre
  • Confusão mental
  • Desmaio

Diagnóstico & Exames

O médico pode lançar mão de exames físicos e mentais para diagnosticar a desidratação. Geralmente, considera-se desidratado um paciente com sintomas de confusão mental, pressão sanguínea baixa, batimento cardíaco acelerado, febre, falta de suor e perda de elasticidade da pele.

Muitas vezes, exames de sangue são solicitados para avaliar a função renal e conferir os níveis de sódio, potássio e outros eletrólitos. Os eletrólitos são sais minerais que regulam a hidratação corporal e são fundamentais nas funções nervosa e muscular. O exame de urina também pode ser muito útil para diagnosticar a desidratação. Na pessoa desidratada, a urina se apresenta mais escura e concentrada – contendo um nível mais elevado de substâncias conhecidas como corpos cetônicos.

Para fazer o diagnóstico da desidratação em bebês, o médico normalmente confere se a fontanela (moleira) está afundada. Além disso, ele também poderá verificar se há falta de suor ou se o tônus muscular está normal.

Como Evitar a Desidratação

A prevenção é o melhor tratamento para a desidratação. Beber muitos líquidos e comer alimentos ricos em água (como frutas e verduras) na grande maioria das vezes é o suficiente para evitar a desidratação. A prática de exercícios físicos nas horas mais quentes do dia deveria ser evitada, sendo que a ingestão de líquidos durante a prática de exercícios físicos é prioridade. Como os idosos e crianças têm mais risco de desidratação, estes necessitam de atenção redobrada em relação à ingestão de líquidos.

Tratamento da Desidratação

O tratamento da desidratação consiste na reposição dos líquidos perdidos pelo corpo. Isso pode ser feito através da ingestão de água, caldos ou sopas, picolés ou isotônicos. No entanto, alguns pacientes precisam receber soro na veia para se reidratar. As pessoas que estiverem desidratadas devem evitar bebidas cafeinadas, como café, chá e refrigerantes. Doenças que possam estar causando a desidratação devem ser tratadas com a medicação específica, conforme indicação médica.

Quando Procurar Atendimento Médico

Procure atendimento médico imediatamente se você ou seu(s) filho(s):

  • Apresentarem os sintomas da desidratação, mesmo após ingerir líquidos;
  • Estiverem vomitando por mais de 12 horas;
  • Tiverem diarreia por mais de 5 dias.

Se não for tratada, a desidratação pode causar convulsões, lesão cerebral permanente e até morte.

Desidratação Tem Cura?

Quando a desidratação é logo reconhecida e tratada, os resultados costumam ser bons.

Alimentos com Altos Teores de Água

  • Pepino: 95%
  • Tomate: 94%
  • Melancia: 92%
  • Melão: 90%
  • Laranja: 88%
  • Abacaxi: 87%
  • Maçã: 86%
  • Banana: 74%

Fontes: Medical News Today e NIH

Compartilhe