Voltar ao Topo
Gravidez

Sangramento Durante a Gravidez

O sangramento durante a gravidez é comum, principalmente no primeiro trimestre, e normalmente não é motivo para preocupação. Mas devido ao fato de que o sangramento às vezes pode ser sinal de algo mais sério, é importante conhecer as possíveis causas e ser examinada por um médico para ter certeza de que você e o seu bebê estão bem de saúde.

sangramento durante a gravidez

O médico ginecologista/obstetra deverá avaliar qualquer caso de sangramento durante a gravidez. Foto: Jess Lis/Free Images.

Sangramento no Primeiro Trimestre

Aproximadamente 20% das mulheres têm algum sangramento durante as primeiras 12 semanas de gravidez. Entre as possíveis causas do sangramento no primeiro trimestre, estão:

Sangramento de implantação. Você poderá ter um pequeno sangramento, normal nas primeiras 6 a 12 semanas após a concepção, por causa da implantação do óvulo fertilizado no revestimento do útero. Algumas mulheres não notam que estão grávidas porque confundem esse sangramento com uma leve menstruação. Normalmente, o sangramento é bem leve e dura poucas horas ou alguns dias.

Aborto espontâneo. O aborto espontâneo é considerado uma das maiores preocupações em relação ao sangramento no primeiro trimestre porque geralmente ocorre nas primeiras 12 semanas da gravidez. Aproximadamente metade das mulheres que têm sangramento durante a gravidez, acabam sofrendo aborto espontâneo, mas não significa necessariamente que se você está sangrando é porque perdeu o bebê, ainda mais se você não tiver qualquer outro sintoma.

Sintomas: cólicas no baixo ventre e a passagem de tecidos pela vagina.

Gravidez ectópica. Em uma gravidez ectópica, o embrião se implanta fora do útero, geralmente nas tubas uterinas. Se o embrião continuar se desenvolvendo ali, pode causar o rompimento da tuba uterina, o que pode ser fatal para a mãe. Embora a gravidez ectópica seja potencialmente perigosa, ela só ocorre em aproximadamente 2% das gestações.

Sintomas: fortes cólicas ou dores no baixo ventre e tonturas.

Mola hidatiforme. Essa é uma condição médica muito rara na qual, ao invés de um bebê, há o crescimento anormal de tecido dentro do útero. Em casos raros, ocorre o crescimento de tecido tumoral maligno que pode se espalhar para outras partes do corpo.

Sintomas: fortes náuseas, vômitos e rápido crescimento do útero.

Existem outras causas de sangramento no início da gravidez, a saber:

  • Alterações cervicais. Durante a gravidez, aumenta o fluxo de sangue no colo do útero. A relação sexual ou exame papanicolau, que podem gerar um contato com o colo do útero, podem causar um sangramento. Esse tipo de sangramento não é motivo de preocupação.
  • Infecção. Qualquer infecção no aparelho reprodutor pode causar sangramento no primeiro trimestre.

Sangramento no Segundo e Terceiro Trimestres

O sangramento anormal na segunda metade da gravidez é considerado mais sério porque pode ser indício de problemas com a mãe ou com o bebê. Procure atendimento médico o mais rápido possível se você tiver algum sangramento no segundo ou terceiro trimestres.

As possíveis causas de sangramento na segunda metade da gravidez são:

Placenta prévia. Essa complicação ocorre quando a placenta se fixa na parte de baixo do útero, recobrindo parcial ou totalmente o colo do útero. Embora o placenta prévia seja muito rara (ocorre em apenas uma a cada 200 gestações), é considerada uma emergência e requer atendimento médico imediato.

O sangramento causado pela placenta prévia geralmente não apresenta dor.

Descolamento da placenta. Em aproximadamente 1% das gestações, a placenta se descola da parede do útero antes ou durante o parto e o sangue pode ficar estancado entre a placenta e o útero. O descolamento prematuro da placenta pode ser muito perigoso para ambos, mãe e bebê.

Sintomas: dor abdominal, saída de coágulos pela vagina, contrações uterinas e dor nas costas.

Ruptura uterina. Em casos raros, a cicatrização de uma cesariana pode se romper durante uma gravidez subsequente. A ruptura uterina pode ser fatal e requer uma cesariana de emergência.

Sintomas: dor e desconforto abdominais.

Vasa prévia. Nessa complicação raríssima, os vasos sanguíneos do bebê no cordão umbilical ou placenta atravessam o orifício do colo uterino. A vasa prévia pode ser muito perigosa para o bebê porque os vasos sanguíneos podem se romper, causando sangramento severo e falta de oxigênio.

Sintomas: arritmias cardíacas fetais e sangramento excessivo, porém indolor.

Parto prematuro. O sangramento vaginal no final da gravidez pode ser apenas um sinal de que o seu corpo está se preparando para o parto. Quando faltar algumas semanas ou dias para o parto, o tampão mucoso que “veda” o colo do útero vai descer pela vagina e, juntamente, pode haver uma pequena quantidade de sangue. Se o sangramento e os sintomas do parto começarem antes da 37º semana de gravidez, procure atendimento médico imediatamente porque você pode estar em trabalho de parto prematuro.

Sintomas: contrações, corrimento vaginal, pressão abdominal e dor lombar.

Existem outras causas de sangramento no final da gravidez, a saber:

  • Feridas no colo do útero ou vagina
  • Pólipos
  • Câncer

O Que Fazer em Caso de Sangramento Anormal Durante a Gravidez

Vá ao médico porque o sangramento vaginal em qualquer trimestre pode ser indício de um problema. Coloque um absorvente para que você perceba o quanto está sangrando e para registrar o tipo do sangramento. Leve todo tipo de tecido que descer pela vagina para que o médico examine. Não use absorventes internos ou tenha relações sexuais enquanto ainda estiver sangrando.

Vá para um pronto-socorro ou ligue 192 imediatamente se você tiver algum dos seguintes sintomas:

  • Dor severa ou cólicas intensas no baixo ventre
  • Sangramento severo, com ou sem dor
  • Corrimento vaginal com resíduos
  • Tonturas ou desmaio
  • Febre acima de 38º e/ou calafrios

 

Fonte: WebMD

Compartilhe

Deixe o seu comentário