Voltar ao Topo
Saúde da Criança

Teste do Coraçãozinho Será Realizado pelo SUS

Foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (11/06) a Portaria do Ministério da Saúde que determina a realização do teste do coraçãozinho em todos os recém-nascidos atendidos no SUS. Segundo relatório da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC), mais de 3 milhões de bebês deverão ser submetidos ao teste do coraçãozinho a cada ano.

teste do coraçãozinho

Bebê recém-nascido passando pelo teste do coraçãozinho (oximetria de pulso). Foto: Kristyna Wentz-Graff/Journal Sentinel.

Para que serve o teste do coraçãozinho?

O teste do coraçãozinho, chamado tecnicamente de oximetria de pulso, consiste de um aparelho ligado a um sensor, colocado na mão e no pé do bebê, que é capaz de medir a concentração de oxigênio na circulação sanguínea. Este procedimento se mostrou o mais viável para detectar a cardiopatia congênita crítica, um grupo de doenças do coração que afetam de 1 a 2 em cada 1.000 recém-nascidos vivos, segundo dados da Sociedade Brasileira de Pediatria. Mesmo com os exames físicos e auscultação, em cerca de 30% dos casos os bebês recebem alta hospitalar sem que a doença seja diagnosticada, o que pode evoluir para choque, hipóxia ou morte precoce, antes de receber tratamento adequado. O teste do coraçãozinho não é invasivo e não causa dor alguma ao bebê.

O Ministério da Saúde espera que, com a incorporação do teste do coraçãozinho no SUS, a taxa de mortalidade infantil – atualmente de 16 em cada 1.000 nascidos vivos – caia ainda mais no Brasil, como vem acontecendo nas últimas décadas. Os gestores do SUS em âmbito federal, estadual e municipal têm agora um prazo de 6 meses para implementar o teste do coraçãozinho nas unidades hospitalares neonatais de todo o Brasil.

Fonte: Diário Oficial da União, Relatório Nº 115 – CONITEC/MS

Compartilhe