Voltar ao Topo
Gravidez

Aborto Espontâneo

Aborto espontâneo é o encerramento da gravidez antes da 20º semana de gestação. O sangramento vaginal é o sintoma mais comum de uma ameaça de aborto espontâneo, porém nem todo sangramento representa um aborto espontâneo. A maioria dos abortos espontâneos (75% a 80%) ocorrem nas primeiras 12 semanas de gravidez. Estima-se que uma em quatro gestações acabem em aborto espontâneo. Muitos abortos espontâneos não são notificados, nem mesmo percebidos, pois ocorrem bem no início da gravidez.

Causas de Aborto Espontâneo

Geralmente, o aborto espontâneo está ligado a problemas durante a gestação. O desenvolvimento de um bebê a partir de um gameta feminino e um masculino é um processo muito complicado. Se algo der errado neste processo, a gravidez será interrompida. O aborto espontâneo é mais comum em mulheres mais maduras, principalmente devido a anomalias cromossômicas que são mais comuns com o avançar da idade.

Outra possível causa de aborto espontâneo é a falha na fixação do embrião no útero. A reação natural do útero é expelir uma gravidez não-viável.

aborto espontâneo

Dor e sangramento no início da gravidez podem ser sintomas de uma ameaça de aborto espontâneo. Foto: Shutterstock.


Sintomas de Aborto Espontâneo

Dor e sangramento no início da gravidez pode significar aborto espontâneo, mas nem sempre. O sangramento é muito comum no início da gravidez, e afeta cerca de uma em cada quatro mulheres, sendo que muitas delas poderão ter bebês saudáveis futuramente. Sangramento no início da gravidez que não resultar em aborto espontâneo não causa qualquer dano ao bebê.

Se o sangramento estiver sendo causado por aborto espontâneo, não existe tratamento ou terapia que impeça o aborto espontâneo. No entanto, ainda assim é muito importante que você procure o seu médico.

Tratamento do Aborto Espontâneo

Uma vez iniciado, nada pode ser feito para impedir um aborto espontâneo. O alvo do tratamento é evitar hemorragia intensa e infecção, além de cuidar de você, física e emocionalmente.

Talvez você precise esperar um curto período de tempo antes que o tratamento possa ser iniciado. Se você tiver sangramento intenso com coágulos e cólicas, é provável que você esteja expelindo os tecidos da gravidez. Sangramento, coágulos e dor geralmente acabam depois que estes tecidos são expelidos. Às vezes, o sangramento continua intenso e talvez você necessite cuidados adicionais. Se você acha que está tendo, ou teve, um aborto espontâneo, procure o seu médico ou vá a um pronto atendimento.

Não se Culpe pelo Aborto Espontâneo

Após um aborto espontâneo, o médico pode solicitar alguns exames, mas, geralmente, nenhuma causa é identificada. Isso pode gerar sentimentos de aflição, descrença e culpa. No entanto, os médicos concordam que um aborto espontâneo raramente é provocado por algo que a mulher tenha feito ou deixado de fazer (por exemplo, beber uma taça de vinho, comer um alimento específico, fazer sexo ou não descansar o bastante). Na maioria dos casos, a próxima gestação vai a termo.

Após um Aborto Espontâneo

Frequentemente, algum tecido da gravidez permanece no útero após um aborto espontâneo. Se não for removido através de uma curetagem, você pode continuar sangrando por um longo período ou desenvolver uma infecção. A menos que todos os tecidos da gravidez tenham sido expelidos, o médico geralmente solicita uma curetagem. Este é um procedimento feito sob anestesia geral leve e, normalmente, você pode ir para casa no mesmo dia. Uma amostra do tecido pode ser enviada para exames de laboratório.

Após a Curetagem

A maioria das mulheres costuma sangrar por 5 a 10 dias após a curetagem. Entre em contato com o seu médico caso tenha:

  • Sangramento intenso ou prolongado
  • Coágulos sanguíneos ou forte dor abdominal
  • Alterações na sua secreção vaginal
  • Febre ou sintomas de gripe.

Fonte: Better Health Channel

Compartilhe