Voltar ao Topo
Doenças

Asma

A asma é uma doença crônica que afeta os pulmões e causa dificuldade de respiração. Isso acontece quando as passagens de ar se estreitam e ficam inflamadas. Segundo a gravidade, a asma é classificada de intermitente a persistente grave. Algumas pessoas têm só alguns leves sintomas, ocasionalmente. Enquanto outras, têm sintomas quase constantemente, com graves crises que podem levar até a morte.

Durante uma crise de asma, as vias aéreas ficam inflamadas e estreitas devido à musculatura circunjacente que se contrai. O fluxo de ar fica parcial ou completamente obstruído à medida que o muco produzido pela inflamação preenche a estreita passagem do ar. A asma afeta tanto as vias aéreas maiores dos pulmões, chamadas brônquios, como as menores, chamadas bronquíolos. O tratamento consiste em evitar ou cessar a inflamação, e relaxar a musculatura das vias aéreas.

O que causa essa inflamação ainda não foi elucidado, mas vários desencadeantes ambientais já foram identificados. Muitos fatores desencadeantes da asma são alérgenos – substâncias que induzem uma resposta exagerada do sistema imunológico em algumas pessoas. Os alérgenos mais comuns incluem pelos e saliva de animais, pólen, mofo, ácaros, baratas, alguns medicamentos e determinados alimentos. Outros fatores desencadeantes da asma também lideram essa lista: infecções virais como gripes e resfriados, exercício físico, respirar ar frio ou seco, fortes odores, estresse emocional e poluentes ambientais como fumaça de cigarros e de queimadas, bem como odores de tinta e de outros produtos químicos. Em algumas pessoas com asma grave, não é possível identificar fatores desencadeantes específicos.

Embora a asma se desenvolva cedo – muitas vezes antes dos 5 anos de idade – os sintomas podem começar em qualquer idade. A doença tem um componente genético (hereditário) e frequentemente afeta pessoas com histórico familiar de alergias. Segundo dados do International Study for Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC), a estimativa de prevalência no Brasil situa-se em torno de 20%.

inalatório para asma

Estima-se que mais de 20 milhões de pessoas sofram de asma no Brasil. Foto: Nick Winchester / Free Images.


Sintomas da Asma

Os sintomas da asma incluem:

  • Sibilância (chiado provocado pela passagem dificultada de ar);
  • Dificuldade de respiração;
  • Aperto no peito;
  • Tosse persistente.

Para algumas pessoas com asma, uma tosse crônica é o principal sintoma. Para outras, os sintomas aparecem apenas durante ou após exercícios físicos. No intervalo entre dois episódios de crise asmática, as pessoas com asma leve ou moderada podem não apresentar nenhum sintoma. Os pacientes tendem a apresentar sintomas mais graves quando adquirem uma infecção do trato respiratório superior como gripe ou resfriado.

Além de extrema falta de fôlego e aperto no peito, uma crise asmática grave apresenta os seguintes sintomas:

  • Frequência cardíaca acelerada;
  • Transpiração;
  • Narinas expandidas e lábios franzidos;
  • Vontade de sentar em posição ereta;
  • Lábios e unhas com uma coloração arroxeada (cianose).

Diagnóstico & Exames

O médico fará perguntas sobre os seus sintomas, tais como: qual a gravidade dos sintomas? Quando, onde e com que frequência eles ocorrem? O que provoca e o que alivia os sintomas? Esses detalhes ajudarão seu médico a encontrar a melhor forma de evitar as crises de asma. O médico também vai querer saber sobre seu histórico pessoal e familiar de asma, alergias e doenças respiratórias.

O médico vai proceder à auscultação das suas costas para detectar algum possível chiado. Durante uma crise de asma, seu médico pode avaliar a gravidade da crise asmática ao escutar o fluxo de ar que está passando e ao observar como você está usando seus músculos do peito para respirar. Pele ou lábios arroxeados são sinais de que você não está tendo oxigênio suficiente. Outros exames que podem ser feitos no consultório incluem uma medição da velocidade do ar que você consegue soprar. Isso é feito com um dispositivo portátil chamado pico de fluxo expiratório (PFE). Outro exame, chamado oximetria de pulso, mede os níveis de oxigênio no seu sangue, e é feito através da colocação de um clipe plástico (sensor) na ponta do seu dedo.

Durante uma crise asmática, exames de sangue podem ser realizados para conferir se o número de glóbulos brancos está elevado, o que pode indicar que você tem uma infecção. Um exame especial, chamado gasometria arterial, pode ser feito coletando-se sangue de uma artéria no seu braço para medir os níveis de oxigênio com mais precisão. O seu médico também pode pedir que você faça uma radiografia de tórax.

Dois exames mostram como seus pulmões estão funcionando, e podem ajudar a diagnosticar e medir a gravidade da asma:

Espirometria. Durante a espirometria, você sopra dentro de um aparelho que analisa o volume do fluxo de ar. Uma parte do exame pode ser repetida depois que você recebe um medicamento, chamado broncodilatador, que relaxa a musculatura das vias aéreas e melhora o fluxo de ar. Se o seu fluxo de ar melhorar depois de usar o broncodilatador, é uma indicação que você tem asma.

Às vezes, é feito um desafio, especialmente quando a espirometria se apresenta normal. Nesse procedimento, você inala uma medicação que induz a contração dos músculos das vias aéreas (broncoespasmo). As pessoas com asma são mais sensíveis à essa medicação.

Pico de Fluxo Expiratório (PFE). Esse pequeno tubo portátil mede a velocidade do ar expirado quando você sopra contra o tubo. Muitas vezes, esses dispositivos são recomendados aos pacientes com asma para monitorar sua doença em casa e ajudar a detectar os primeiros sinais de uma crise asmática.

Se o médico suspeitar que a sua asma está sendo causada por alérgenos, e os sintomas não forem tratados ou controlados facilmente com medicamentos, um teste de sangue ou de pele podem ser feitos para detectar uma alergia. O teste de sangue, chamado de RAST, procura por anticorpos a potenciais alérgenos específicos. No teste alérgico de pele, a pele é exposta à fracas diluições de diferentes alérgenos em potencial. Aplica-se o alérgeno na pele ou usa-se um adesivo na pele por 48 horas, geralmente. Se houver vermelhidão e inchaço no lugar da aplicação, significa que você é alérgico àquela substância.

Duração da Asma

A asma em adultos é, na maioria das vezes, uma doença que dura a vida toda. Com tratamento, os sintomas podem ser bem administrados. Em aproximadamente metade das crianças com asma, a doença desaparece naturalmente ou se torna menos grave com o passar do tempo. No entanto, muitas vezes pode reaparecer mais tarde.

Os episódios de asma podem desaparecer sozinhos ou com a ajuda de medicamentos. As crises de asma variam em frequência e gravidade, normalmente dependendo do fator desencadeante.

Como Evitar a Asma

Em alguns casos, os episódios de asma podem ser evitados se você minimizar ou evitar a exposição aos desencadeantes. Isso inclui desencadeantes ambientais como fumaça de cigarro, poluição e fortes substâncias químicas.

Se é a atividade física que desencadeia sua asma, você pode evitar uma crise se respirar ar quente e úmido antes e durante seu exercício, ou se usar inalatórios. A medicação preventiva também pode ser usada antes de uma exposição a animais.

Nem sempre é fácil eliminar os alérgenos da casa e conseguir controlar os sintomas da asma. Algumas pessoas precisam evitar os animais completamente ou tomar medidas especiais com seus animais de estimação, como mantê-los do lado de fora do imóvel ou dar banho regularmente. Se os ácaros são os desencadeantes, algumas medidas caseiras incluem envolver os colchões em revestimentos herméticos, limpeza frequente do imóvel, lavar as roupas de cama em água quente e retirar tapetes e cortinas dos quartos.

Sempre que for possível, durante a primavera, aqueles que são alérgicos ao pólen deveriam ficar em ambientes internos, usar ar condicionado e manter as janelas fechadas.

O monitoramento dos sintomas e dos resultados dos exames o ajudam a identificar uma crise de asma iminente em horas ou mesmo dias antes que os sintomas se desenvolvam, o que permite iniciar o tratamento com antecedência. Em muitos casos o tratamento precoce pode impedir que uma crise de asma aconteça.

Os primeiros sinais ou sintomas de uma crise alérgica incluem:

  • Tosse com mais frequência;
  • Aumento das secreções nasais;
  • Perda rápida de fôlego ao se esforçar ou ao se exercitar;
  • Dor de cabeça ou febre;
  • Ter sintomas semelhantes aos de um resfriado, como nariz escorrendo ou congestionado, espirros, ou olhos lacrimejantes.

Tratamento da Asma

Se você tem asma crônica, você deve discutir com seu médico um plano de controle da asma. O plano deve especificar como evitar os desencadeantes da asma, quando e com que frequência os medicamentos devem ser tomados, como lidar com crises agudos e como usar o PFE. IMPORTANTE: mesmo que você não esteja apresentando os sintomas da asma, os medicamentos de manutenção devem ser tomados como foram prescritos.

Vários tipos de medicamentos estão à disposição para o tratamento da asma. Alguns tratam crises agudas, enquanto outros evitam que elas ocorram.

Os broncodilatadores relaxam a musculatura em volta das vias aéreas para melhorar o fluxo de ar, e são normalmente inalados. Uma classe de broncodilatadores chamados beta agonistas, incluindo o salbutamol, podem ser prescritos exclusivamente para sintomas leves e ocasionais. O salbutamol também é usado como um medicamento de alívio para acabar com uma crise de asma. Ele pode ser inalado por um inalador ou tomado através de um nebulizador, um aparelho que mistura medicamentos com vapor para inalação.

Outros broncodilatadores, incluindo-se salmeterol e teofilina, são usados para prevenir e controlar a asma. Eles não são úteis em caso de uma crise asmática porque demoram a fazer efeito.

Os anti-inflamatórios geralmente são usados para evitar que ocorram crises de asma. Essas drogas agem na redução da inflamação e da constrição dos músculos das vias aéreas. Os corticoides, inalatórios ou orais, reduzem a inflamação e são usados no tratamento da asma moderada ou grave. As pessoas com asma moderada conseguem controlar sua doença muito bem com o uso de corticoides inalatórios.

Os corticoides orais ou intravenosos são administrados em dosagens mais altas para servir apenas como medicação de “resgate”, e seus efeitos podem durar vários dias ou semanas. Se usados diariamente, o cromoglicato de sódio e o nedocromil são anti-inflamatórios que podem evitar crises em pacientes com asma leve a moderada. Eles também podem ser usados antes da exposição a um fator desencadeante da asma como, por exemplo, antes de fazer atividade física ou de ter contato com animais.

Os modificadores de leucotrienos são o mais novo tipo de anti-inflamatórios. Administrados oralmente, essas drogas bloqueiam os leucotrienos, um dos vários agentes que provocam inflamação e diminuição das vias aéreas nas pessoas com asma.

Algumas pessoas com asma também se beneficiam da imunoterapia, na qual a pessoa recebe injeções com alérgenos cada vez maiores para dessensibilizar o sistema imunológico da pessoa. A imunoterapia para asma se apresenta mais eficaz para sintomas leves a moderados que são causados por alérgenos de ambientes fechados como ácaros, mofo e animais.

As crises graves de asma devem ser tratadas em ambiente hospitalar, onde pode ser administrado oxigênio, drogas injetáveis ou nebulização. Em casos com risco de vida, o paciente pode precisar de um tubo para respiração colocado em sua traqueia (intubação endotraqueal) e ventilação artificial, disponíveis em UTI’s.

Quando Procurar Atendimento Médico

Procure atendimento médico sempre que você ou seu filho tiver chiado e aperto no peito, tosse ou dificuldade de respiração. Algumas crianças podem não reclamar da falta de fôlego. No entanto, ao respirar, elas podem expandir suas narinas ou usar a musculatura do peito e do pescoço como um sinal de que estão tendo problemas.

Se você já foi diagnosticado com asma, ligue para seu médico se os sintomas estiverem piorando ou se os remédios não estiverem fazendo efeito. Por exemplo, você deveria ligar para o seu médico se estiver usando seu broncodilatador de emergência mais de quatro vezes por dia para controlar os sintomas, ou se os resultados do PFE estiverem nas zonas amarela ou vermelha.

Se você tiver uma crise de asma e os sintomas persistirem, apesar dos seus medicamentos regulares, procure um atendimento de emergência imediatamente.

Asma Tem Cura?

Embora a asma não possa ser curada, ela quase sempre pode ser controlada com sucesso. A maioria das pessoas que têm asma pode levar uma vida normal.

Glossário da Asma

Alérgenos: São fatores desencadeantes ambientais, tais como pólen, pelos de animais, fumaça, ácaros, mofo, restos de insetos, cheiros de substâncias químicas, alguns alimentos e medicamentos, mudanças de temperatura, etc.

Inaladores de Pó: Dispositivos semelhantes aos nebulímetros, mas como o próprio nome diz, a medicação é administrada em forma de pó. Sua utilização não requer muita prática e são os mais recomendados para crianças pequenas.

Nebulímetros: Popularmente conhecidos como “bombinhas“, são dispositivos que armazenam a medicação (broncodilatador ou anti-inflamatório ou ainda uma combinação dos dois) misturado a um gás propelente. Se a medicação broncodilatadora for usada em excesso, pode provocar alguns efeitos colaterais como palpitação e tremores. Para utilizá-los corretamente é preciso uma certa prática.

Fontes: ISAAC e Harvard Health Decision Guides – Todos os direitos reservados

Compartilhe

Deixe o seu comentário