Voltar ao Topo
Saúde Pública

Dia Mundial de Combate à Hepatite 2014

A Organização Mundial da Saúde criou o Dia Mundial de Combate à Hepatite, que acontece todos os anos em 28 de julho, para conscientizar as pessoas sobre as hepatites virais e suas consequências.

As hepatites virais – um grupo de doenças contagiosas conhecidas como hepatite A, B, C, D, e E – afetam milhões de pessoas em todo o mundo, causando doenças agudas e crônicas do fígado que matam quase 1,4 milhão de pessoas a cada ano. Ainda assim, a hepatite continua sendo ignorada ou desconhecida por grande parte da população.

Dessa forma, o Dia Mundial de Combate à Hepatite serve como estímulo aos gestores públicos, empresas do setor de saúde e público em geral para ‘Pensar de novo’ sobre essa “assassina silenciosa”. Isso inclui ações específicas como campanhas de prevenção e detecção das hepatites virais, e aumento da cobertura vacinal contra hepatite B.

A data de 28 de julho foi escolhida para o Dia Mundial de Combate à Hepatite em homenagem ao nascimento do ganhador do prêmio Nobel de medicina, Baruch Samuel Blumberg, descobridor do vírus da hepatite B e desenvolvedor da vacina contra a doença.

Dia Mundial de Combate à Hepatite

A campanha do Dia Mundial de Combate à Hepatite visa conscientizar as pessoas sobre as formas de contágio e prevenção da doença. Foto: Divulgação


Hepatite Viral

A hepatite viral é uma inflamação do fígado causada por um dos cinco vírus da hepatite: A, B, C, D e E. Estes vírus têm vias de transmissão distintas: as hepatites A e E são transmitidas através de água e alimentos contaminados; a hepatite B – através do sangue e outros fluidos corporais; a hepatite C – principalmente pelo sangue; e a hepatite D – uma infecção que ocorre na presença do vírus da hepatite B. Todos estes vírus causam hepatite aguda, cujos sintomas são cansaço, perda de apetite, febre e icterícia.

A maioria das pessoas consegue se recuperar completamente, porém uma pequena parcela de pessoas podem morrer de hepatite aguda. Além disso, as hepatites B e C podem se tornar crônicas, causando cirrose e câncer de fígado. Estima-se que aproximadamente 1,4 milhão de pessoas morrem a cada ano das diversas formas de hepatite viral.

Fonte: Organização Mundial da Saúde

Compartilhe