Voltar ao Topo
Saúde da Mulher

Dor Pélvica

A pelve – que contém o útero, as tubas uterinas, os ovários, a vagina, a bexiga e o reto – é a parte inferior do tronco, localizada abaixo do abdômen, entre os quadris. As mulheres sentem frequentemente dores nessa zona, cujas características e intensidade são variáveis e, às vezes, é difícil saber a sua causa.

Com frequência, mas nem sempre, a dor pélvica é associada a problemas relacionados com o aparelho reprodutor. Outras causas de dor pélvica têm a ver com os intestinos ou com o trato urinário. Os fatores psicológicos podem piorar a dor ou, inclusive, provocar uma sensação dolorosa sem que exista nenhum problema orgânico subjacente.

dor pélvica

A dor pélvica pode ter várias causas, como ginecológicas, intestinais, urinárias, musculoesqueléticas e relacionadas à gravidez. Foto: Divulgação


Diagnóstico

Quando uma mulher sente, repentinamente, uma dor muito intensa na parte inferior do abdômen ou na região pélvica, o médico deve avaliar com rapidez se há necessidade de alguma intervenção cirúrgica imediata. Exemplos são a apendicite, a perfuração do intestino, uma torção de um cisto do ovário, uma gravidez ectópica e a rotura de uma tuba uterina.

Muitas vezes o médico pode determinar a causa da dor a partir do relato da paciente, ou seja, se é pontiaguda ou abafada, em que circunstâncias se sente (se começou de repente), quanto tempo dura e onde se localiza. Os sintomas que a acompanham, como febre, náuseas ou vômitos, podem ajudar a fazer o diagnóstico. O médico também poderá perguntar se o aparecimento da dor está relacionado com as refeições, o sono, as relações sexuais, o movimento, a micção e a defecação.

Em seguida, o médico faz um exame físico. O exame pélvico (por dentro), que deve sempre fazer parte da análise de uma dor pélvica, ajuda a determinar que órgãos são afetados e se existe infecção. Os testes de laboratório, como uma contagem completa de células sanguíneas, uma análise de urina ou um teste de gravidez, podem indicar a existência de uma hemorragia interna, uma infecção ou uma gravidez ectópica.

Em alguns casos, pode ser feita uma ecografia, uma tomografia axial computadorizada (TAC) ou uma ressonância magnética (RM) dos órgãos internos. Também se pode recorrer ou à cirurgia ou à laparoscopia (um procedimento com um tubo de fibra óptica que permite o exame das cavidades abdominal e pélvica) para determinar a causa da dor.

Fonte: Manual Merck – Saúde Para a Família

Compartilhe