Voltar ao Topo
Doenças

Hepatite C

Hepatite C é uma infecção viral que pode causar danos ao fígado. Geralmente, o vírus da hepatite C (HCV) é transmitido através do contato com sangue infectado, principalmente no compartilhamento de seringas usadas para injetar drogas. A doença também pode ser transmitida por:

  • Objetos compartilhados para cheirar cocaína.
  • Relações sexuais sem proteção (menos comum).
  • Acidentes com agulhas ou seringas contaminadas (profissionais de saúde).
  • Transfusão de sangue — Antes de 1993, pessoas que recebiam transfusões de sangue tinham risco acrescido de contrair hepatite C, mas com a evolução das técnicas de testagem sanguínea, a chance de contrair hepatite C através de transfusão sanguínea caiu para aproximadamente uma em cada 100.000.
  • Equipamentos infectados para fazer tatuagens e colocação de piercing.

Após a transmissão do HCV, demora normalmente de uma a três semanas para que o vírus possa ser detectado nos exames de sangue.

O índice de pessoas com hepatite C aguda que desenvolvem a forma crônica pode chegar a 80%. A maioria dessas pessoas, no entanto, não sabem que têm a doença porque a hepatite C, normalmente, não causa sintomas. Após conviver com essa infecção silenciosa por 20 a 30 anos, 30% das pessoas desenvolvem cirrose hepática, uma doença grave do fígado que pode levar à morte. Uma porcentagem menor das pessoas com hepatite C crônica desenvolvem câncer de fígado. Mais de 1 milhão de pessoas morrem a cada ano em todo o mundo em decorrência de complicações da hepatite C.

Sintomas da Hepatite C

Muitas pessoas com hepatite C não apresentam sintomas. No entanto, aproximadamente 30% dos infectados desenvolvem sintomas, como:

  • Mal-estar geral
  • Icterícia
  • Apatia
  • Falta de apetite
  • Fadiga

Menos de 20% das pessoas infectadas pela hepatite C conseguem se curar completamente. Raramente, essas pessoas sofrem alguma consequência de longo prazo da doença.

Aproximadamente 30% das pessoas com hepatite C desenvolvem sintomas gerais, como perda de peso, falta de apetite, fadiga e dor nas articulações. A maioria das pessoas, porém, não têm qualquer sintoma por 20 a 30 anos após a infecção, mesmo que o vírus já tenha causado danos ao fígado. A menos que façam o teste para hepatite C, muitas dessas pessoas não saberão que estão infectadas até que apareçam os sintomas de doença hepática em estágio avançado.

Diagnóstico & Exames

O médico vai perguntar sobre os sintomas relacionados à hepatite C ou à doença hepática em estágio avançado. Ele também perguntará se você possui algum fator de risco para hepatite C, como uso de drogas injetáveis, uso de cocaína por via nasal ou transfusões de sangue, principalmente antes de 1993. O médico fará perguntas sobre sua conduta sexual, pois as pessoas que têm mais de um(a) parceiro(a) sexual estão mais suscetíveis a contrair hepatite C. Se você já trabalhou na área da saúde, o médico vai perguntar se você já sofreu algum acidente com agulhas. Em casos raros, as pessoas que fazem hemodiálise de longo prazo acabam se infectando através de equipamento contaminado.

hepatite

O vírus da hepatite C (HCV) pode ser detectado através de exame de sangue específico. Foto: CDC/ Amanda Mills.


O médico irá te examinar à procura de sinais de doença hepática, como aumento de tamanho do fígado ou baço, inchaço abdominal, tornozelo inchado ou distrofia muscular.

A hepatite C é confirmada por certos exames através de métodos diferentes. Alguns detectam a presença do vírus no sangue (testes diretos); outros, detectam anticorpos produzidos pelo organismo para combater o vírus da hepatite C (testes indiretos). Esses anticorpos indicam que você entrou em contato com o vírus. O vírus, especificamente, pode ser detectado através de uma técnica chamada reação em cadeia da polimerase. Os testes indiretos incluem o ELISA e o RIBA.

Se você tiver hepatite C, o médico vai pedir exames de sangue para verificar se você está com doença hepática. Em aproximadamente 70% das pessoas com hepatite C, os resultados desses exames estarão alterados. Testes especiais poderão ser feitos para revelar qual subtipo do vírus da hepatite você tem, já que cada subtipo responde de uma forma diferente ao tratamento. É provável que você faça uma biópsia de fígado que, na maioria dos casos, é feita antes do início do tratamento. Biópsia é um procedimento em que retira-se um pequeno pedaço de tecido para ser examinado em laboratório.

Duração da Hepatite C

Menos de 20% das pessoas com hepatite C conseguem se livrar do vírus em até seis meses. A maioria das pessoas têm a infecção pelo resto da vida. Eventualmente, alguns desenvolvem cirrose ou outras formas de doença hepática grave.

Como Evitar a Hepatite C

Não existe vacina contra a hepatite C, por isso, a única forma de prevenção é evitar os fatores de risco.

O risco de contrair hepatite C por meio de relações sexuais parece ser baixo, exceto quando a pessoa tem HIV ou outras doenças sexualmente transmissíveis. Um indivíduo que esteja em um relacionamento estável com parceiro portador de hepatite C pode se infectar também, mas isso raramente acontece. Por esse motivo, os parceiros de portadores de hepatite C nesse tipo de relacionamento (monogâmicos) geralmente não necessitam tomar precauções especiais para se protegerem contra a infecção. Você deverá discutir esse tema com seu médico.

Até então, estas são as formas mais eficazes de prevenção contra a hepatite C:

  • Não use drogas ilícitas injetáveis.
  • Não cheire cocaína.
  • Se você quiser fazer uma tatuagem ou colocar piercing, tenha certeza de que os equipamentos utilizados foram esterilizados corretamente.
  • Se você for um profissional de saúde, siga as normas de biossegurança hospitalar (uso de EPI’s, lavar as mãos, etc) para evitar o contato com sangue de pacientes.
  • Não faça sexo sem proteção, a menos que você esteja em um relacionamento estável com uma pessoa.
  • Como o consumo de álcool agrava o quadro da hepatite C, as pessoas que têm a doença deveriam reduzir significativamente o consumo de álcool, ou ainda, evitá-lo completamente.

Tratamento da Hepatite C

Nem todos infectados com hepatite C necessitam tratamento. Se você for infectado, seu médico te explicará os benefícios e efeitos colaterais do tratamento. Analisando seu histórico médico, ele te dirá quais seriam as melhores opções de tratamento no seu caso. Se você não teve hepatite A ou hepatite B, o médico vai recomendar que você tome as vacinas contra hepatite A e B para diminuir o risco de ter futuros danos ao fígado.

Antigamente, uma medicação chamada Interferon Alfa era muito usada no tratamento da hepatite C. No entanto, os benefícios desse tratamento raramente duravam por mais de seis meses, apesar das melhoras apresentadas em quase 50% dos casos na fase inicial. Por esse motivo, hoje em dia o Interferon Alfa é administrado em conjunto com uma droga antiviral chamada Ribavirina. Aproximadamente 60% dos pacientes que fazem uso dessa terapia combinada conseguem se livrar do vírus da hepatite C. O prognóstico depende do subtipo do vírus. Os pacientes infectados pelos genótipos 2 ou 3 respondem melhor ao tratamento. Já aqueles infectados pelo genótipo 1 têm menos chances de responder ao tratamento.

Algumas pessoas não conseguem tolerar os efeitos colaterais desse tratamento, cuja recomendação não vale para pessoas que tenham certos problemas de saúde. O Interferon Alfa causa vários efeitos colaterais, como mal-estar geral, depressão, dificuldades de concentração, anemia, problemas na tireoide e, menos comum, doenças autoimunes. É por isso que essa medicação não está indicada para pessoas que tenham um histórico de depressão, doenças autoimunes, certas doenças sanguíneas e várias outras doenças crônicas. A Ribavirina é mais facilmente tolerada. Seu principal efeito colateral é a anemia.

A terapia antiviral também não é recomendada para as pessoas que estejam com doença hepática em estágio avançado ou para pessoas que fazem uso de álcool ou drogas ilícitas.

Quando Procurar Atendimento Médico

Vá ao médico se você tiver os sintomas da hepatite ou se você teve contato com alguém suspeito de ter hepatite.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que os seguintes grupos de risco façam o teste para hepatite C:

  • Indivíduos que receberam transfusão de sangue, hemoderivados ou órgãos antes de 1993
  • Usuários de drogas injetáveis ou de cocaína (mesmo que tenham usado há muito tempo atrás)
  • Pessoas em hemodiálise de longo prazo
  • Profissionais de saúde
  • Pessoas infectadas pelo HIV
  • Indivíduos com doença hepática ou cujos resultados de exames do fígado estejam alterados
  • Recém-nascidos de mães infectadas

Se você estiver em um desses grupos de risco, procure um médico para saber mais sobre o teste para hepatite C.

Hepatite C Tem Cura?

A hepatite C pode ser curada em casos de detecção precoce, pois a taxa de cronificação da hepatite C varia entre 60% e 80%. Em média, 25% dos pacientes desenvolvem cirrose num período de 20 anos, e em média de 1% a 5% dos pacientes desenvolvem uma forma de câncer de fígado chamado hepatocarcinoma. O tratamento eficaz com antivirais diminui o risco de cirrose e câncer de fígado.

Fontes: Harvard Health Decision Guides, Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde.

Compartilhe

Deixe o seu comentário