Voltar ao Topo
Saúde da Mulher

Microchip Anticoncepcional Pode Chegar ao Mercado em 2018

Nos anos 1990, Robert Langer – professor no Massachusetts Institute of Technology (MIT) e conhecido como “o engenheiro mais citado da história” – e seus colegas Michael Cima e John Santini, desenvolveram uma tecnologia de microchip capaz de liberar quantidades controladas de substâncias químicas.

Indo direto para 2012, o laboratório de Robert Langer no MIT recebeu a visita de Bill Gates, que queria saber se era viável um novo método anticoncepcional no qual a mulher pudesse ligá-lo e desligá-lo quando quisesse e que pudesse durar muitos anos.

Langer sugeriu que o seu microchip de liberação controlada poderia ser a solução. A tecnologia foi transferida à MicroCHIPS, uma startup ligada ao MIT que desenvolveu um dispositivo medindo apenas 20x20x7 milímetros para ser implantado sob a pele das nádegas, abdômen ou braço.

O chip contém um pequeno reservatório do hormônio levonorgestrel, que já é usado em alguns anticoncepcionais. O chip libera 30 mcg de levonorgestrel por dia, e pode durar até 16 anos.

Quando a mulher quiser engravidar, basta desativar o chip por controle remoto. Não há necessidade de remoção do chip do corpo da mulher antes dos 16 anos de uso. Em comparação, os implantes subdérmicos atuais duram, no máximo, 5 anos.

microchip

Os microchips podem ser usados como implantes subdérmicos que liberam medicamentos na corrente sanguínea. Foto: Divulgação.


Embora alguns críticos do dispositivo estejam preocupados que ele possa ser “hackeado”, o presidente da MicroCHIPS, Robert Farra, afirma que a comunicação entre o controle remoto e o chip, além de ser encriptada, “tem de ocorrer à distância de contato com a pele,” por isso “ninguém que esteja no mesmo ambiente conseguirá reprogramar o seu implante.”

Como as novas opções de métodos anticoncepcionais raramente são produzidas pela iniciativa privada, o MIT acredita que este implante vai ter um papel importante nesta missão.

A MicroCHIPS, com o patrocínio de Bill Gates, planeja submeter o implante a testes clínicos nos Estados Unidos em 2015, e acredita que o dispositivo poderá ser vendido a partir de 2018.

Artigo original: Contraceptive microchip: could it revolutionize global birth control? Medical News Today, 8 de julho de 2014.

Compartilhe