Voltar ao Topo
Opinião

O Mito da Aprendizagem: Porque Nunca Dizer Para Seu Filho que Ele é Inteligente

Por: Salman Khan

Meu filho de 5 anos começou aprender a ler. Toda noite, deitamos em sua cama e ele lê um pequeno livro para mim. Inevitavelmente, ele se engasga com uma palavra com a qual tenha dificuldades: noite passada a palavra era “agradecidamente.” Depois de um minuto de sacrifício ele geralmente consegue. Daí ele diz, “Pai, você não está contente que eu batalhei com aquela palavra? Eu acho que pude sentir meu cérebro crescendo.” Eu sorri. Meu filho agora estava verbalizando os sinais que revelam uma mentalidade de crescimento. Mas isso não foi por acidente. Recentemente, eu coloquei em prática uma pesquisa que venho estudando nestes últimos anos: eu decidi elogiar meu filho não quando ele obtém sucesso em coisas que ele já domina, mas quando ele persevera com coisas que acha difícil. Eu ressaltei para ele que ao batalhar, seu cérebro cresce. Dentre as mais relevantes pesquisas na área da mentalidade de aprendizagem e esta experiência pessoal com meu filho, estou mais convencido do que nunca de que mentalidades que visam a aprendizagem têm mais importância do que qualquer outra coisa que ensinamos.

Os cientistas já sabem há algum tempo que o cérebro é como um músculo: quanto mais você usa, mais ele cresce. Eles descobriram que as conexões neurais se formam e se fortalecem mais quando cometemos erros ao executar tarefas difíceis do que quando obtemos sucesso repetidamente com as fáceis.

professor Salman KhanIsso significa que a nossa inteligência não é fixa, e a melhor maneira de crescer a nossa inteligência é se envolver com tarefas nas quais possamos batalhar e falhar.

No entanto, não é todo mundo que percebe isso. Há décadas a Dra. Carol Dweck, da Universidade Stanford, vem estudando a mentalidade voltada à aprendizagem das pessoas. Ela descobriu que a maioria das pessoas adere a uma de duas mentalidades: fixa ou de crescimento. A mentalidade fixa acredita equivocadamente que as pessoas são inteligentes ou não, que a inteligência é fixada pela genética. As pessoas com mentalidade de crescimento acreditam corretamente que a capacidade e a inteligência podem crescer através do esforço, da batalha e do fracasso. Dweck descobriu que aqueles que possuem uma mentalidade fixa tendem a concentrar seus esforços em tarefas nas quais a probabilidade de sucesso é maior, e evitam tarefas em que possam encontrar dificuldades, limitando, assim, sua aprendizagem. Pessoas com uma mentalidade de crescimento, por sua vez, se envolvem com desafios e têm a consciência de que a perseverança e o esforço são capazes de modificar seus resultados de aprendizagem. Como você pode imaginar, isso permite com que o segundo grupo de pessoas seja mais proativo e cresça intelectualmente.

A boa notícia é que as mentalidades podem ser ensinadas; elas são maleáveis. O mais fascinante nessa história é que Dweck e outros cientistas desenvolveram técnicas que eles chamam de “intervenções de mentalidade de crescimento,” que mostram que até mesmo pequenas alterações na comunicação ou comentários aparentemente inofensivos podem ter implicações bem duradouras para a mentalidade de uma pessoa. Por exemplo, elogiar o desenvolvimento de alguém (“Eu realmente gostei da forma com que você batalhou com aquele problema”) ao invés de elogiar uma característica inata ou talento (“Você é tão inteligente!”) é uma maneira de reforçar uma mentalidade de crescimento com alguém. Elogiar o desenvolvimento reconhece o esforço; elogiar o talento reforça a noção de que uma pessoa só obtém sucesso (ou não) com base em uma característica fixa. E nós também já percebemos isso na Khan Academy: os estudantes passam mais tempo aprendendo na Khan Academy depois que recebem mensagens de elogio à sua perseverança e determinação e que enfatizam o cérebro como um músculo.

A Internet é um sonho de consumo pra quem tem uma mentalidade de crescimento. Dentre Khan Academy, EdX, Coursera, Duolingo, e outros sites educativos, hoje temos acesso sem precedentes a uma infinidade de conteúdo que vai ajudar a crescer a sua mente. No entanto, a sociedade não vai se beneficiar completamente disso caso as mentalidades de crescimento não sejam a maioria. E se a gente tentasse mudar isso, então? E se começássemos a usar todos os meios de que dispomos para realizar intervenções de mentalidade de crescimento em todas as pessoas com as quais temos consideração? Isso é muito maior do que a Khan Academy ou álgebra: se aplica à maneira como você se comunica com seus filhos, à forma com que gerencia sua equipe no trabalho e ao jeito com que você aprende um novo idioma ou instrumento musical. Se a sociedade, como um todo, começar a se envolver na batalha da aprendizagem, não haverá limites para aquilo que conhecemos como potencial humano.

E agora, uma surpresa para você. Só de ler este artigo, você já passou pela primeira metade de uma intervenção de mentalidade de crescimento. Pesquisas indicam que só de ter contato com as pesquisas (por exemplo, saber que o cérebro cresce mais com erros do que com acertos) pode desencadear a mudança de mentalidade de uma pessoa. A segunda metade da intervenção é você falar sobre a pesquisa para os outros. Fizemos um vídeo (acima) que celebra a batalha da aprendizagem e que te ajudará nesta tarefa. Afinal de contas, quando o meu filho, ou qualquer pessoa me pergunta sobre aprendizagem, eu só quero que eles saibam uma coisa: enquanto estiverem dispostos a batalhar e cometer erros, eles podem aprender qualquer coisa.

Artigo original: The Learning Myth: Why I’ll Never Tell My Son He’s SmartKhan Academy em português.

Compartilhe