Voltar ao Topo
Saúde Pública

Perguntas e Respostas Sobre o Zika Vírus e Microcefalia

Compartilhe...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestDigg thisShare on TumblrShare on RedditPrint this pageEmail this to someone

O que é a febre Zika?

A febre Zika é uma doença transmitida por mosquitos infectados pelo Zika vírus. Os principais sintomas são manchas vermelhas pelo corpo, dor de cabeça, dor nas articulações, dor muscular, fraqueza e conjuntivite. Os sintomas costumam aparecer entre 3 a 12 dias após a picada do mosquito e duram, em média, 2 a 7 dias. Uma em cada quatro pessoas não desenvolve os sintomas. A febre Zika guarda semelhanças com a dengue no que diz respeito ao quadro clínico e ao principal vetor, o mosquito Aedes aegypti. Em 2015, o Zika vírus foi associado ao surto de microcefalia na região Nordeste do Brasil.

Qual é o tratamento da febre Zika?

O tratamento da febre Zika consiste no alívio da dor, febre e outros sintomas que causem desconforto ao paciente. Após contrair a infecção pelo Zika vírus o organismo humano adquire imunidade contra o mesmo por toda a vida. Ainda não há vacina contra o Zika vírus.

picada-mosquito

Os mosquitos do gênero Aedes são os principais transmissores de doenças, como dengue, chikungunya e zika. Foto: Gabor Bibor / Free Images.


O que é a microcefalia?

A microcefalia é uma malformação congênita rara, em que o cérebro não se desenvolve completamente, resultando em tamanho significativamente menor do crânio. Em aproximadamente 90% dos casos de microcefalia os indivíduos apresentam algum tipo de retardo mental como sequela.

O que causa microcefalia?

Entre os fatores que causam microcefalia durante a gravidez estão:

  • Problemas genéticos
  • Exposição a álcool, drogas e substâncias tóxicas
  • Intoxicação por mercúrio
  • Infecções, como toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola, catapora e febre Zika
  • Desnutrição severa
  • Insuficiência de oxigênio para o feto
  • Fenilcetonúria descontrolada

Então, está confirmado que o Zika vírus causa microcefalia?

Sim. Exames realizados em amostras de sangue e tecidos de um bebê, nascido no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas identificaram a presença do Zika vírus. A descoberta dos pesquisadores brasileiros é considerada inédita na literatura científica mundial. Agora, os pesquisadores estão investigando como ocorre a infecção do feto e quais os períodos da gravidez em que há maior vulnerabilidade ao Zika vírus.

Qual período da gravidez é mais suscetível à ação do Zika vírus?

A partir dos relatos das gestantes, os casos de microcefalia em bebês estão relacionados àquelas gestantes que apresentaram os sintomas da febre Zika nos três primeiros meses de gravidez. No entanto, deve-se ter o cuidado para não entrar em contato com o mosquito Aedes aegypti durante todo o período da gestação.

É possível detectar a microcefalia no pré-natal?

Sim. O médico que está acompanhando a gestante deverá indicar o método de imagem mais adequado.

Qual o tratamento para a microcefalia?

Não há tratamento específico para a microcefalia. Existem ações de suporte que podem auxiliar no desenvolvimento do bebê e da criança. Tendo em vista que cada criança desenvolve complicações diferentes – entre elas respiratórias, neurológicas e motoras – o acompanhamento por diferentes especialistas vai depender das funcões biológicas afetadas.

A sinostose craniana, um tipo de microcefalia não relacionada a infecções, pode ser corrigida por meio de cirurgia. Neste caso, geralmente, as crianças precisam de acompanhamento após o primeiro ano de vida.

microcefalia

Tomografias computadorizadas de crânio de duas crianças com a mesma idade – à esquerda, desenvolvimento craniofacial normal; à direita, malformação característica da microcefalia. Imagem: Divulgação.


Quantos casos de microcefalia foram notificados no Brasil?

Segundo o Ministério da Saúde, até 26 de dezembro de 2015 foram notificados 2.975 casos suspeitos de microcefalia, espalhados por 20 estados de todas as regiões do Brasil. Os estados mais afetados são Pernambuco (1.153 casos), Paraíba (476 casos) e Bahia (271 casos).

Como se prevenir da febre Zika?

As medidas de prevenção ao mosquito Aedes aegypti, tais como evitar o acúmulo de água parada em casa ou no trabalho, usar repelentes e roupas de manga comprida, constituem o foco do combate não apenas à febre Zika, mas também à dengue e à febre chikungunya.

Fontes: Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde e Mayo Clinic

Compartilhe