Causas e Consequências da Obesidade

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade é uma doença crônica em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afetar a saúde.

Ela atinge homens e mulheres de todas as idades, etnias e classes sociais, reduz a qualidade de vida e tem elevadas taxas de morbilidade e mortalidade. Depois do tabagismo, a obesidade é considerada a segunda causa de morte que pode ser prevenida.

De fato, existem tantas pessoas obesas no mundo inteiro que a OMS considera essa doença como a epidemia global do século XXI.

obesidade

A obesidade é a segunda maior causa de mortes evitáveis em todo o mundo. Foto: Julia Freeman-Woolpert / Free Images.


Quais São os Tipos de Obesidade?

  • Obesidade androide, abdominal ou visceral. Caracteriza-se pelo acúmulo de gordura na metade superior do corpo, sobretudo no abdômen. Como ilustração, a pessoa fica com o corpo em forma de maçã. Atinge principalmente os homens. A obesidade visceral está associada a complicações metabólicas, como o diabetes tipo 2, e a doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial, bem como à síndrome do ovário policístico e à disfunção endotelial. A associação da obesidade a estas doenças depende da gordura intra-abdominal e não da gordura total do corpo.
  • Obesidade do tipo ginoide. Ocorre quando a gordura se distribui, principalmente, na metade inferior do corpo, particularmente na região glútea e coxas. Como ilustração, a pessoa fica com o corpo em forma de pêra. Atinge principalmente as mulheres.

O Que Causa a Obesidade?

O excesso de gordura corporal é resultado do desequilíbrio entre as calorias ingeridas e as calorias queimadas. Os fatores que determinam esse desequilíbrio são complexos e podem ter origem genética, metabólica, ambiental e comportamental.

Uma alimentação hipercalórica, com excesso de gorduras, carboidratos e álcool, aliada a uma vida sedentária, leva ao acúmulo em excesso de massa gorda.

Existem provas científicas que sugerem haver uma predisposição genética que determina, em certos indivíduos, um maior acúmulo de gordura na região abdominal, em resposta à ingestão de calorias em excesso e/ou à diminuição da atividade física.

Quais São os Fatores de Risco da Obesidade?

  • Vida sedentária. Quanto mais tempo se gasta em atividades que não exigem muito esforço físico, maior é o risco de obesidade. Obviamente, a perda de peso se deve muito à redução na ingestão de calorias. Contudo, evidências comprovam que a única forma de perder peso de forma sustentável é praticando alguma atividade física, regularmente.
  • Morar na zona urbana. Quanto mais urbanizada é a zona de residência, maior é a prevalência de obesidade.
  • Grau de instrução dos pais. Quanto menor o grau de instrução dos pais, maior a prevalência de obesidade na família.
  • Fatores genéticos. A presença de genes envolvidos no aumento do peso aumentam o risco de desenvolver obesidade, quando o indivíduo é exposto a condições ambientais favoráveis (como sedentarismo e ingestão calórica em excesso), o que significa que a obesidade pode ter uma tendência familiar.
  • Gravidez e menopausa. Essas condições caracterizadas por alterações hormonais no corpo da mulher podem contribuir para o aumento no armazenamento da gordura.

Quais as Consequências da Obesidade Para a Saúde?

  • Sistema circulatório: hipertensão arterial, aterosclerose, insuficiência cardíaca e angina de peito.
  • Complicações metabólicas: hiperlipidemia, alterações de tolerância à glicose, diabetes tipo 2, gota.
  • Sistema respiratório: dispneia (dificuldade de respirar) e fadiga, síndrome de insuficiência respiratória do obeso, apneia do sono e embolismo pulmonar.
  • Sistema digestório: esteatose hepática, litíase vesicular (formação de pequenos cálculos na vesícula) e câncer de intestino.
  • Sistema genito-urinário e reprodutor: infertilidade e amenorreia (ausência anormal da menstruação), incontinência urinária, hiperplasia e câncer do endométrio, câncer de mama, câncer de próstata, hipogonadismo hipotalâmico e hirsutismo.
  • Outras alterações: osteoartroses, insuficiência venosa crônica, risco anestésico, hérnias e propensão a quedas.

Portal da Saúde – Todos os direitos reservados