Fraturas Maxilares – Mandíbula e Maxila

Um maxilar fraturado causa dor e, geralmente, altera a forma como os dentes encaixam entre si. Muitas vezes não se pode abrir muito a boca ou esta desloca-se para um lado quando se abre ou fecha. A maioria das fraturas maxilares ocorrem no maxilar inferior (mandíbula). As fraturas do maxilar superior (maxila) podem provocar visão dupla, insensibilidade da pele por baixo do olho ou uma irregularidade na maçã do rosto (osso zigomático), que dá para sentir quando se passa o dedo.

fratura de mandíbula

Tomografia computadorizada evidencia fratura de mandíbula. Foto: Dra. Shawneen Gonzalez.


Diagnóstico & Primeiros Socorros

Qualquer traumatismo com força suficiente para fraturar o maxilar também pode lesar a coluna vertebral na região cervical. Por isso, antes de tratar um maxilar fraturado, são feitas radiografias do pescoço para afastar a hipótese de uma lesão das vértebras. Uma pancada com força suficiente para fraturar o maxilar também pode causar um dano ou uma hemorragia craniana. No caso de uma possível fratura do maxilar, deve manter-se o maxilar no seu lugar com os dentes juntos e imóveis, podendo segurar-se o maxilar com uma mão ou, de preferência, com uma faixa passada várias vezes por baixo deste e por cima da cabeça. Aquele que for enfaixar a pessoa fraturada deve proceder com cuidado, evitando sufocá-la. É necessária a assistência médica o mais rapidamente possível porque as fraturas podem causar uma hemorragia interna e obstruir as vias respiratórias.

Tratamento & Prognóstico

Uma vez no hospital, é possível fixar as partes do maxilar entre si, deixando as fixações durante 6 semanas para permitir a ossificação completa da fratura. Durante este tempo, o paciente só pode se alimentar com líquidos aspirados por um canudo. Muitas fraturas maxilares podem reparar-se cirurgicamente com uma placa (uma peça de metal que se aparafusa no osso de cada lado da fratura). Os maxilares são imobilizados durante uns dias. Depois, o paciente pode comer alimentos moles durante várias semanas. Algumas fraturas do maxilar não são imobilizadas nas crianças; o tratamento inicial permite movimentos limitados, retomando-se as atividades cotidianas em algumas semanas. Geralmente os antibióticos são necessários nos casos de fratura composta, isto é, quando um dente ou seu alvéolo também são atingidos.

Fonte: Manual Merck – Saúde Para a Família

Marcações: