Gripe e Resfriado: Qual é a Diferença?

Todos os anos, com a aproximação do inverno, começamos a nos preocupar em evitar as doenças respiratórias que popularmente chamamos de gripe. Apesar de usarmos esse termo de forma genérica para nos referirmos a sintomas como nariz entupido, espirros e dor de cabeça, a gripe e os resfriados são causados por vírus diferentes e apresentam algumas características que permitem a sua diferenciação.

Enquanto a maioria das pessoas é infectada algumas vezes durante o ano com o vírus do resfriado, a gripe ocorre com menos frequência, manifestando-se, por exemplo, uma vez em alguns anos.

Gripe

É causada pelo vírus influenza. Seus sintomas geralmente aparecem de forma repentina, com febre, vermelhidão no rosto, dores no corpo e cansaço. Entre o segundo e o quarto dias os sintomas do corpo tendem a diminuir enquanto os sintomas respiratórios aumentam, aparecendo com frequência uma tosse seca.

Ao contrário de outras infecções (caxumba, por exemplo) em que o nosso sistema imunológico “lembra” das características do vírus ao vê-lo pela segunda vez e já sabe como atacá-lo, com o vírus influenza não acontece a mesma coisa. Isso porque ele sofre mutações (mudanças) a cada ano na sua estrutura, enganando o nosso sistema imunológico que demora algum tempo para contra-atacar.

A mutação do vírus influenza ocorre na sua superfície que possui determinadas substâncias chamadas hemaglutinina e neuraminidase. É a composição dessas duas substâncias que vai determinar o tipo de reação e gravidade da doença. A hemaglutinina (HA) pode ser classificada do 1 ao 16. E a neuraminidase (NA), de 1 a 6. No caso da gripe suína, por exemplo, o vírus foi identificado como H1N1.

virus influenza

A ilustração acima mostra os aspectos de um vírus influenza, incluindo as proteínas de superfície hemaglutinina (HA) e neuraminidase (NA). Após a infecção ou vacinação, o sistema imunológico produz anticorpos que reconhecem e se ligam aos “componentes antigênicos”, regiões encontradas nas proteínas de superfície do influenza. Ao se ligar a esses componentes antigênicos, os anticorpos neutralizam o vírus da gripe, evitando que ele infecte outras células. Imagem: Dan Higgins / CDC.


Resfriado

É causado na maioria das vezes por rinovírus. Seus primeiros sinais costumam ser coceira no nariz ou irritação na garganta, os quais são seguidos após algumas horas por espirros e secreções nasais. A congestão nasal também é comum nos resfriados, porém, ao contrário da gripe, a maioria dos adultos e crianças não apresenta febre ou apenas febre baixa.

Tratamento da Gripe e Resfriado

Ainda não existem medicamentos que tenham demonstrado bons resultados no combate aos vírus da gripe e do resfriado. Mesmo a droga antiviral mais recente, o oseltamivir (Tamiflu ®), só consegue ter algum efeito se tomado até 48 horas após o aparecimento dos sintomas, porém é um medicamento caro. Por isso, o tratamento da gripe e dos resfriados é direcionado ao alívio dos sintomas. O médico recomendará repouso e muita ingestão de líquidos. Para aliviar as dores e febres, os principais medicamentos sintomáticos utilizados são os analgésicos e os antitérmicos. Como a gripe e os resfriados são infecções virais, tomar antibiótico não tem nenhuma eficácia.

Atenção: Mesmo medicamentos de venda livre (aspirina, por exemplo) podem provocar reações indesejadas. Além disso, tomar remédios sem saber a verdadeira causa do problema pode tornar resistentes os vírus e as bactérias. Somente o profissional de saúde poderá indicar o medicamento mais apropriado para cada caso.

Como Evitar Gripe e Resfriado

A vacina é a melhor maneira de se evitar a gripe e suas complicações. Todos os anos é necessário receber uma nova dose, já que sua composição é alterada de acordo com o tipo de vírus mais provável de se disseminar. A vacina previne aproximadamente 70-90% dos casos de gripe, mas não protege contra outras infecções respiratórias como o resfriado. O efeito preventivo da vacina é observado cerca de duas semanas após sua administração, por isso a aplicação da vacina deve ser feita antes do inverno, época em que ocorrem os maiores índices de infecção. Como o vírus utilizado na vacina foi inativado em laboratório, não é possível que a vacinação provoque gripe.

As reações adversas que podem ocorrer costumam ser leves, como: dor no local da injeção, febre e mal estar que duram um ou dois dias. Há evidências de que quem recebe a vacina todos os anos desenvolve maior resistência à doença, por isso todas as pessoas que tiveram acesso à vacina devem recebê-la anualmente. Para o resfriado ainda não há vacina disponível.

Fontes: Dr. Emilton Lima Júnior, Ministério da Saúde e Harvard Health Decision Guides